Vou me casar, como fica o controle financeiro? Dúvidas do divã.

Um dos maiores dispêndios de nossas vidas em se falando em curto prazo. Juntar tudo, nova moradia, mudança total de vida, gastos com festa, essa conta pode ficar em patamar aceitável até o estratosférico, por isso planejar muito bem é imprescindível.

Aqui existem duas situações.

A primeira os dois já vivem juntos, já existe um compartilhamento dos gastos, das receitas e todos os “acordos” (assim deveria ser) já estão firmados. Neste caso o objetivo “casar” se resume a uma cerimônia com ou sem festa e com ou sem viajem.

A outra situação, o casal mora separado e depois da cerimônia vão começar uma vida a dois. Além do objetivo da cerimônia com ou sem festa e com ou sem viagem existe ainda o objetivo – desafio – do tudo junto e misturado dos gastos, das receitas e investimentos.


1) Planejando a nova vida a dois

Vamos começar com essa segunda situação, um pouco mais complexa que exige uma etapa preparatória.

Aliás essa etapa vale para todos os casais que resolvem morar juntos independentemente se há ou não um “casamento” formal.

Comece levantando qual é a realidade financeira de cada parceiro. Quais são os gastos e as receitas de cada um.

Se já estão habituados com um orçamento doméstico chegou a hora de juntar e fazer um único do casal. Se não, comece já fazendo um em conjunto.

Talvez conhecer um pouco sobre Planejamento Financeiro, lá você pode baixar o ebook, seja interessante.

ebook Planejamento Financeiro – Todos os episódios da série juntos

Aqui tem 2 modelos: Orçamento para imprimir, Orçamento planilha no excell.

Nessa hora repare que, começando a morar junto, vão aparecer outras despesas atreladas a nova moradia. Talvez, com a vida a dois, alguns gastos deixarão de existir.

E chega a hora dos “acordos” da vida a dois. Como ficara o destino das receitas? Quem vai pagar o que? Como será a divisão dos gastos do dia a dia? Quanto e quem vai colaborar para a poupança? Quais serão as responsabilidades de cada um?

E ainda tem os custos da nova moradia, a decoração, quem vai comprar os móveis, as máquinas por exemplo. Fazer um levantamento de tudo o que necessita ser adquirido é fundamental. Inclua no orçamento.

Quando se faz um orçamento é muito importante também ter os objetivos definidos (de curto, médio e longo prazo). O desafio é que agora com a vida a dois, aqui também deverá existir “acordos”. Provavelmente alguns terão que ser postos de lado, por enquanto, afinal há outros objetivos mais importantes. Quais podem seguir paralelamente. Se cada um remar no sentido contrário não vai funcionar. Veja nossa série sobre Objetivos que vai ajudar bastante. Qual Destino você quer? Objetivos Financeiros I.

Use esta oportunidade de montar o orçamento para definir todos estes “acordos”.

Veja quanto dinheiro tem disponível, quanto será possível poupar, quais gastos cortar, qual renda poderá ser aumentada. Quais objetivos se encaixam na nova realidade. Isto inclui definir como casal o que é necessidade e o que é desejo.

Fique consciente que a vida a dois não deixa de ser uma parceria, uma sociedade. Um colaborando e somando com o outro. Quanto melhor for essa sincronia, menores serão os atritos, inclusive financeiros. Assim a primeira etapa é colocar no papel como vai ser a vida a dois. Tanto financeiramente quanto todo o resto.

Ter consciência da realidade e para onde o casal quer ir é fundamental.

Lembre-se de que muitos casamentos se encerram por causa dos problemas financeiros, ou pelos atritos de como gastar o dinheiro.

🧐O que é desejo para um pode ser necessidade para o outro e aí começam os conflitos, por isso não esqueça de ter isso bem esclarecido.

Feito isso podemos partir para a etapa 2.


2) Planejando uma cerimônia de casamento.

Vamos a situação um. Objetivo: Cerimônia de Casamento.

Que é o planejamento financeiro da cerimônia propriamente dito. Seja ela no civil, no religioso ou apenas simbólico, com festa ou não, seguida de viagem ou não. Gastos haverão.

Antes de colocar a mão na massa, algumas considerações.

Fundamental conhecer a realidade financeira do casal. Por isso a etapa anterior é importante. Quanto dinheiro há disponível, quanto dinheiro será possível juntar.

Para ajudar a nesse processo todo, formule um objetivo específico e estipule todas as metas. Veja nesta sequencia de matéria: Por que precisamos dos objetivos? Objetivos Financeiros II

O ideal é realizar um casamento dentro das condições financeiras do casal. Porque começar uma nova vida cheia de dívidas pode não ser um bom começo. A vida a dois por si só já traz desafios, se além deles tiver que lidar com a pressão do pagamento de empréstimo é mais um obstáculo. Este sacrifício vale a pena?

Você está casando para os outros ou com seu parceiro? O que é mais importante? Uma festa de um dia e o resto da vida passando necessidades ou uma festa intimista e ter mais conquistas a dois. Deixar de aproveitar muitas coisas que a vida nova a dois proporciona, por causa do pagamento da dívida, pode ser um desafio muito grande. Tem que colocar na balança.

Tendo tudo isso bem equacionado comece definindo o tipo de Cerimônia, festa e viagem. (do simples ao suntuoso).

Tendo o esboço em mão, anote todos os gastos por menores que sejam. Quanto mais detalhado melhor. Confronte o total dos gastos com o seu orçamento pessoal. Os valores batem? Há condições financeiras de bancar?

Aqui temos um Planner que pode ser usado no planejamento de qualquer evento. Ele permite levantar e controlar os gastos, acompanhando se o real está dentro do previsto. Baixe gratuitamente.

Independentemente do modelo usado, tenha sempre um orçamento exclusivo para a celebração. Porém jamais esqueça do seu orçamento pessoal que tem que acompanhar paralelamente.

E não se esqueça, o total gasto com a cerimônia tem que caber dentro do orçamento do casal. Este é o grande desafio. Se os valores não baterem é importante fazer ajustes no Planner da Cerimônia.

Tendo em mão o quanto há disponível hoje, o quanto vai conseguir juntar todo mês, o quanto a cerimônia vai custar e a data do casamento, procure um investimento ideal para esta finalidade, ou seja, considerando o prazo para utilização, o rendimento, a liquidez etc. Provavelmente algo de curto prazo, sem risco e com boa liquidez.

Uma dica para ficar de olho: Quanto mais conseguirem juntar antes de casamento mais poderão pagar à vista, obtendo bons descontos.

Seja um consumidor consciente e avalie a necessidade de cada gasto. Pergunte a si mesmo: Faz sentido, é realmente indispensável. Não é porque todo mundo faz que você é obrigado a fazer igual.

Como usar o 5R – Repensar, Recusar, Reduzir, Reutilizar ou Reformar e Reciclar.

Procure coisas que sejam reutilizados e possam ser reutilizado. Alugue. Use e abuse do compartilhamento.

Conheça mais sobre o 5R e adote uma postura consciente.


E você tem alguma dúvida de divã;

Mande sua dúvida AQUI que vamos responder.


Veja aqui outras Dúvidas do Divã respondidas

Como dar mesada? – Dúvidas do divã

Vale a pena antecipar a restituição do Imposto de Renda? Dúvidas do Divã

Como fica o orçamento doméstico do autônomo se a renda é instável?Dúvidas do divã

Fiquei desempregado, e agora? Dúvidas do divã.

Vou me casar, como fica o controle financeiro? Dúvidas do divã

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s