CUIDADO: Os 5 golpes mais comuns para quem investe inclusive em Bitcoin

Aprenda a se proteger e fique blindado. Do esquema Ponzzi, Mandalas, falsos assessores, fraudes no mercado FOREX até nas Criptomoedas, campo para golpes não faltam.

O mercado está cheio de aproveitadores, pessoas querendo se enriquecer com o dinheiro dos outros. Golpes e fraudes são antigos e nunca param. E a primeira providência para evitar é ter conhecimento. É se informar para não cair nessa.

Conheça abaixo os principais golpes praticados no mundo do investimento:


1) Pirâmides Financeiras

(Clássica, Esquema Ponzzi, Marketing Multinível e Esquemas baseado nos sentimentos = Mandala da Prosperidade – Tear dos sonhos – Flor da Abundância ou algo parecido)

1.1) Pirâmide Financeira Clássica – o que é:

Já falamos anteriormente aqui, no artigo “Cuidado: Pirâmides Financeiras caem”. É o golpe mais conhecido – e antigo – de todos.

CUIDADO: Pirâmides Financeiras caem

Esquema na qual os investidores, para entrar, são obrigados a pagar os outros membros do grupo e vão para a base da pirâmide. Desta forma os lucros prometidos são pagos com os valores de aporte dos novos, até não se sustentar mais. Para receber o lucro prometido é preciso trazer novos membros.

1.2) Esquema Ponzzi – o que é:

O imigrante italiano Charles Ponzi com os seus selos postais deu o nome a este tipo de pirâmide. Ela também depende da entrada de novos recursos para pagar a rentabilidade dos que já fizeram aportes.

O que a diferencia da clássica é que nesta não há obrigatoriedade de os “investidores” trazerem novos membros, a rentabilidade não está condicionada a isso. Mas ambas se alimentam dos recursos de novos aportes.

O fato de não haver necessidade de trazer novos “clientes” e os recursos são entregues a mesma pessoa que promete restituir – com alta rentabilidade – fica mais difícil creditar que é uma pirâmide financeira, porque ela tem um ‘ar” de legalidade. Ela se confunde como “uma oferta pública de contratos de investimento coletivo”.

Excesso de Confiança – Comportamento do Investidor II

1.3) Marketing Multinível – o que é:

É uma versão moderna da Pirâmide Financeira.

A princípio é um modelo de negócio e aí que entra a grande dificuldade em encontrar o ponto de onde termina o negócio e começa a pirâmide.

Este modo de fazer negócios se baseia em uma rede de contatos, em que há distribuição de serviços ou mercadorias. A remuneração ocorre por comissões pela comercialização dos produtos ou pela indicação de novos vendedores.

Até aí tudo bem, nada de irregular.

Porém o negócio é considerado um esquema de pirâmide quando a empresa NÃO obtém 70% ou mais da receita proveniente de vendas de mercadorias, ou seja, o faturamento basicamente vem do recrutamento de novos adeptos.

Eis a pirâmide escondida.

Também conhecido como “empreendedorismo de palco”, nas quais o produto a ser vendido é o método para atrair mais pessoas para o projeto.

O foco passa a ser a corrente criada pelos vendedores e não os produtos ou serviços.

A pessoa entra como vendedor “júnior” (muitas vezes obrigada a comprar um kit de valor relativamente alto) e precisa atrair mais vendedores – assim parte das comissões das vendas dos vendedores “júnior” ficam com os vendedores mais antigos.

Normalmente os vendedores são fisgados com propagandas deixando explícito que não há esforço real para vender e com promessa de altos ganhos em pouco tempo. Venda rápida, fácil e comissão alta.

Glossário de investimento: Quem é quem

1.4) Jogos baseados nos sentimentos (Mandala da Prosperidade – Tear dos sonhos – Flor da Abundância ou algo parecido): o que é:

São aparentemente “grupos” ou “jogos” que apelam para o lado emocional ou espiritual das pessoas abordando temas sérios como potencializar a saúde, conquiste a autoconfiança, crescimento espiritual ou encontre a sua paz, tudo em troca de valores monetários.

Ou ainda apelando para grupos menos favorecidos pincipalmente para mulheres conseguirem a sua independência financeira se envolvendo no “jogo”.

Mandalas podem ser a isca para uma Pirâmide Financeira
Foto por Alesia Kozik em Pexels.com

Por exemplo, para entrar uma pessoa que foi convidada tem que dar um aporte financeiro com a promessa de receber ao final do jogo o valor de volta e ainda com rendimento. Em alguns jogos este investimento inicial recebe o nome de “presente para a Mulher Água”. O trabalho da pessoa é convidar mais pessoas (a depender do jogo podem ser 2,3,4…8) novos jogadores ou integrantes. Quanto mais, maior a recompensa.

E o rendimento ou lucro se dá com o aporte dos novos integrantes. As pessoas novas entram e ficam na base, as mais antigas sobem (igual a pirâmide), chegando ao topo, recebem o valor de volta com a rentabilidade prometida. Até ficar insustentável e desmoronar. Os primeiros recebem o valor investido de volta, porém a grande maioria não.

Viés do Investidor – Aversão à Perda

2) Fraudes no Mercado Forex

O Forex (Foreign Exchange Market) é um mercado de câmbio na qual são negociadas moedas (de todas as partes do mundo) em pares (simultaneamente) na qual se especula se o valor de uma vai subir ou descer em relação à outra moeda pareada. Não se compra fisicamente uma moeda como no mercado de câmbio comercial ou turismo. O que existe é uma relação monetária de troca. O investidor é remunerado pelas diferenças entre a valorização das moedas que estão pareadas.

Ou seja, um mercado de aposta na valorização ou desvalorização de uma moeda sobre outra.

Criado em 1971, é descentralizado e não existe fisicamente (não há uma instituição oficial que regula, que centraliza e não existe um prédio físico tipo bolsa de valores, ou mesa de câmbio), ele ocorre de forma virtual 24 horas por dia, da madrugada de segunda até a noite de sexta.

É o maior mercado financeiro do mundo com transações diárias em torno de US$ 6,6 trilhões sem fechamento já que acontecem 24 horas por dia na semana, de acordo com o Bank for Internationa Settlements (BIS).

A primeira questão:

Aqui no Brasil não é regulamentado pela CVM, assim não há instituições brasileiras autorizadas a operar e muito menos autorização para captação em território nacional via anúncios publicitários. Apesar de proibido é possível encontrar pessoas ou instituições oferecendo este tipo de operações.

Moradores do Brasil, se quiserem operar neste mercado terão que fazer por meio de empresas sediadas em outros países, por conta e risco do investidor.

Assim o primeiro problema, não há fiscalização nem da CVM nem pelo BACEN já que toda a transação ocorreu fora do território brasileiro. Assim o investidor não tem como se resguardar por eventuais fraudes, conflito, dirimir dúvidas ou contestações.

O segundo problema, é que exatamente por não haver fiscalização no território nacional, e por ser um mercado de volume estratosférico funcionam como imã para golpistas, atiçando a má fé, os aproveitadores e golpistas de carreira agem mais facilmente.

Como o mercado é enorme, o número de plataforma que negociam nesse mercado é inimaginável e assim torna difícil identificar se as operações estão ocorrendo em sites sérios ou falsos ou ainda simulando operações por meio de uma programação prévia dando a entender que há ganhos quando na verdade os investidores estão tendo prejuízo.

Outro fator, com um número tão grande de operações com retornos imediatos transformaram muitas plataformas sem recursos tecnológicos em cassinos.

E cassino nunca perde dinheiro. Ele sempre sai ganhando.

Nem todo mercado de aposta tem cara de cassino
Foto por Javon Swaby em Pexels.com

E aí entramos na segunda questão:

Apostar em alguma coisa, seja lá qual ela for não é investir. Não há fundamentação técnica, não há elementos consistentes em que se basear, não há como construir uma certa previsibilidade. Assim o mercado FOREX deve ser enxergado como um mercado de apostas e não de investimento conforme a própria ANBIMA deixa claro.


3) Fraudes em Transações de Criptoativos (criptomoedas)

É a menina dos olhos de hoje? É o futuro? Ou uma bolha? É ilegal? Posso confiar?

Tudo ainda muito incerto. Mas os golpistas são rápidos e já estão agindo.

Criptomoedas são ativos virtuais, não existem fisicamente, e são protegidos por criptografia. Foram criadas para funcionar como um meio de troca (assim como o dinheiro – moeda física -foi criado a centenas de anos atrás). Porém os registros individuais – ao contrário das moedas físicas – são armazenados em um livro digital (ou banco de dados computadorizados) usando uma criptografia complexa.

E basicamente qualquer um pode criar a sua. A mais famosa é o Bitcoin (BTC) – aliás foi a primeira e surgiu em 2009. Tanto que já se usa o nome Bitcoin para se referir ao mercado de criptoativos de forma geral e não especificamente do Bitcoin.

Mas existe ainda outras moedas. Ethereum (ETH), XRP (XRP), Tether (USDT), Litecoin (LTC) , EOS (EOS), Dash (DSH) e muito mais. Estima se que já existam mais de 5 mil tipos desde a sua criação recente.

Nem só de Bitcoin é feito o mercado de Criptomoedas. São mais de 5.000 e já tem falsas. Foto por Marta Branco em Pexels.com

É um mercado em franca expansão e valorização. Só o Bitcoin que começou valendo menos de USD 1,00. Hoje vale U$ 56.942,00.

Isso leva a algumas questões.

Primeiro: A sua negociação não foi regulamentada pela CVM e muito menos pelo BC. Porém o investidor, negociar ele mesmo, com o seu próprio capital não é irregular, nem sujeito a penalidades.

Vai configurar crime ao negociar dinheiro de terceiros. Porque conforme regulamentações brasileiras, todas negociações envolvendo dinheiro de terceiro necessita obrigatoriamente de registro junto à CVM. E como este tipo de negociação não é regulamentado a sua autorização fica impossibilitada.

Assim, se você receber oferta de alguém que esteja captando recursos para em conjunto aplicar em criptoativos está exercendo ilegalmente o serviço.

Portanto, negocie diretamente com corretoras sérias, com boa reputação, cadastradas na CVM.

Isto nos leva a segunda questão: Corretoras sérias! Cada vez mais aparecem denúncias de pessoas que compraram criptomoedas e não conseguiram reaver o dinheiro. Corretoras falsas, corretoras “aventureiras” ou golpistas mesmo. Estão cada vez surgindo mais conforme o mercado vai crescendo, mais e mais pessoas investindo, sem conhecimento prévio, visualizam a rentabilidade e se descuidam na hora de escolher a corretora em que vai negociar.

E não para por aí. Recentemente houve denúncias de esquemas de Pirâmides, esquema Ponzzi e até marketing multinível sendo aplicados com as criptomoedas. Surgiu até uma criptomoeda falsa, chamada de Kriptacoin.

Em comum, lucro exorbitante, rápido e fácil. (estima-se o valor de USS 1,4 bilhão em perdas)

Com tanta audiência, a “menina dos olhos” nos remete a nossa terceira questão a ser considerada.

Com tanta gente investindo, lucro nas alturas, nenhum ativo está valorizando tanto, não levaria a uma bolha? Por quanto tempo essa valorização vai continuar. Vai haver um ponto de queda? E qual será? Para alguns analistas há sim uma bolha financeira.

Os fundamentos da criptomoeda ainda não justificam essa valorização superelevada. Principalmente porque ainda são pouco utilizadas para transações convencionais, como comprar produtos, ou pagar por serviços por exemplo.

O que nos leva a quarta questão. Quem usa criptomoedas? Exatamente por não ser lastreada por Bancos Centrais, com toda rigidez e rigorosidade, as criptomoedas são moeda recorrente do mercado ilegal, clandestino, de lavagem de dinheiro, tráfego de toda espécie, sequestro, hackers, corrupção. Será que boa parte de sua valorização não se dá exatamente porque este tipo de mercado está em franca expansão e ao investir não estaríamos contribuindo? Vale uma boa e profunda pesquisa.

O que nos leva a última questão. Lembram do artigo: Cuidado: Investir seguindo apenas opiniões de influencers? Vale prestar muita atenção ao pesquisar de quem vem as informações.


4) Investimentos “esquecidos”

Aqui “escritórios fantasmas” contatam pessoas (normalmente mais velhos) informando a existência de aplicações supostamente esquecidas em nome do investidor e oferecem o serviço para ‘sacar” o valor aplicado.

A luz de alerta deve ser ligada quando houver solicitação de pagamento antecipado pela prestação do serviço como corretagem, ou imposto de renda.

Como investimentos esquecidos aparecem ações de empresas de telefonia antigas, ainda da época dos planos de expansão, ou cotas de fundos de empresas que já não existem mais.

A B3 (antiga BM&FBovespa) permite consultar pelo CPF toda e qualquer registro de ações por mais antiga que seja.


5) Pessoas que se passam por profissional de investimento

Aqui temos duas situações:

A primeira: Assim como o ponto de até onde um influencer pode recomendar ou indicar investimentos está bem determinado pela CVM, existem profissionais se dizendo especializados em recomendações ou assessoramento quando na verdade carecem de certificação oficial para tanto. Seus objetivos são unicamente de receber comissões pelos seus trabalhos. Recomendo a leitura do artigo: Cuidado: Investir seguindo apenas opiniões de influencers, para saber quando uma recomendação, uma indicação é irregular. Quem pode fazer o que.

Cuidado: Investir seguindo apenas opiniões de influencers

A segunda situação, essa sim duplamente perigosa: são exatamente os assessores de investimento (normalmente sem certificação) que vendem todos esses esquemas, fraudes e golpes que descrevemos acima. De fala boa, palavreado complicado, com ar de profissional, com recursos de persuasão, se valem da ingenuidade e falta de conhecimento dos investidores para aplicar o golpe.


Como se prevenir 👀

– Informe-se, se eduque, tenha conhecimento, conheça o mercado, pesquise e pesquise. Se você está lendo este artigo já é o começo, parabéns.

– Ao aplicar qualquer recurso, verifique se a aplicação escolhida é garantida pelo FGC – Fundo Garantidor de Crédito em caso de falência da instituição onde o recurso está aplicado;

– Quando achar que é muito bom para ser verdade, provavelmente é golpe. Se fosse verdade, todo mundo estaria aplicando, porque só você foi privilegiado?

– Pesquise ao máximo a corretora, o site, a instituição, quem quer que esteja intermediando a negociação. A CVM dispõe de várias formas de pesquisa inclusive pelo seu aplicativo

– Invista de acordo com seus objetivos, tenha uma antes uma reserva financeira, diversifique. Veja nossa série sobre como Investir. Comece com este artigo: Onde Investir o meu dinheiro? O perfil e vá seguindo a série.


– Saiba se você faz parte do perfil de vítimas🧐

                Com estamos falando de investimento, a primeira premissa é: pessoas com dinheiro suficiente para aplicar reservas financeiras, assim pessoas sem muitos recursos não fazem parte desta lista.

                Pessoa sem instrução financeira. Pois o golpe parte da falta de conhecimento da vítima. Assim a Educação Financeira faz parte da estratégia para não cair nessa.

                A baixa rentabilidade da poupança está levando cada vez mais pessoas a “arriscar” em investimentos com rentabilidade maior. São os iniciantes (não de idade, mas de prática em aplicações mais arrojadas). Assim como tudo na vida ao começar algo os erros por desconhecimento são mais frequentes, o mesmo acontece com investimento. Por isso, da lhe capacitação antes de sair por aí aplicando o dinheiro. E comece pequeno, aos poucos, em investimentos com menores riscos e vá aumentando de nível (risco) aos poucos. Devagar, mas sempre.

Conheça outros riscos ao investir, aumente o seu nível de conhecimento e não faça parte do perfil de vítimas: Mas antes, assine nossa newsletter:

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

CUIDADO: Investindo como se fosse um gamer!

Cuidado: Investir seguindo apenas opiniões de influencers

CUIDADO: Mesada para crianças investirem na bolsa.

CUIDADO: Pirâmides Financeiras caem

Cuidado: Investir também vicia

CUIDADO: Investir com base em fake news

Fontes:

ANBIMA

CVM

BC – BACEN

Investidor e Portal do Investidor

Sites Visitados

Revista Você

Valor Investe

The Cap Advisor

Invest News

Marello Legal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s