Estilos lesivos de lidar com o dinheiro – O comodismo

“A culpa é do outros”, o desinteresse e a terceirização do meu dinheiro são formas bem fáceis de deixar a vida me levar e o dinheiro junto.

Estilos lesivos de lidar com o dinheiro – O comodismo

Sair da zona de conforto nem sempre é fácil. Exige determinação, força de vontade, energia, conhecimento, enfrentamento, autodisciplina, motivação e comprometimento. E nem sempre temos essa disposição e energia. E daí surge o comodismo.

Comodismo é um caráter do comodista, ou seja, de quem se afasta de dificuldades ou evita assumir responsabilidades. Normalmente é consequência da insegurança e medo do novo. É ainda uma forma de tentar se manter em estado de prazer constante, em harmonia – seja física, mental ou espiritual – evitando desgastes. Quem assume o comodismo quer ir pelo caminho mais fácil, cômodo, controlado e conhecido e se manter em segurança.

Porém essa “segurança” e “controle” podem ser ilusórios. Os problemas vão surgir querendo ou não e se ignorar, eles tendem a ficar maiores.

Outro ponto muito importante é a limitação. Deixamos de evoluir, ter conquistas, desenvolver novas habilidades (entre outras emocionais, comportamentais), de aprender e fazer as coisas melhores. O que no futuro vai impedir o surgimento de novos problemas e aí sim haverá mais segurança.

O comodismo na área financeira se reflete principalmente nestes 3 comportamentos: Culpar os outros pelos problemas financeiros existentes, preguiça ao terceirizar o seu dinheiro, culpar os outros pelos problemas financeiros existentes e desinteresse pelo assunto.

A culpa é dos outros, a frase pronta para justificar a falta de dinheiro.

É cômodo e muito fácil responsabilizar a tudo e a todos, menos a mim, a culpa pela falta de dinheiro. Uma explicação simples, sem analise, sem remorso. Uma vitimização que só prejudica.

Exemplos muitos comuns – “Ah os juros no Brasil são muito altos”, “a desigualdade é muito grande”, “nunca tive oportunidade”, “comprei porque a promoção estava muito boa”, ou ainda “só quem é rico consegue investir” e com isso o descontrole financeiro se instala.

O mundo de fato é injusto, desigual, cheio de dificuldades. Mas o que não faltam são exemplos de pessoas que conseguiram construir uma vida financeira mais tranquila. O caminho é pelo aprendizado em Educação Financeira.

A preguiça, terceirizar o dinheiro é mais fácil.

Contratar um Plano de Previdências Privada, fazer um consórcio, comprar um título de capitalização são todas formas de poupar via contrato com uma instituição financeira, na qual “eu me obrigo a pagar – depositar mensalmente” e se não o fizer serei punida. Em outras palavras esses “pagamentos” nada mais são do que poupar.

Porém a instituição fica com uma parte do valor pago (poupado) a título de taxas administrativas. E normalmente a taxa de juros do rendimento poupado é menor do que a taxa de juros do reajuste do valor que está sendo “pago” mensalmente.

Olhando sob outro prisma, a pessoa delega a um terceiro a responsabilidade de aplicar o seu dinheiro para que ele renda. É muito mais cômodo pagar todo mês um boleto, ou melhor ainda, hoje a própria instituição debita da conta e nada mais tenho que fazer.

Na realidade nua e crua é que um terceiro está te forçando a investir. Ele está assumindo a responsabilidade que deveria ser sua, e isto tem um preço.

Mais cômodo do que isto, existe?

Deixamos assim de estabelecer compromisso conosco mesmo, de tomar as rédeas de escolher qual investimento é o melhor para mim, dependendo das minhas necessidades.

Isso decorre de a pessoa não conseguir manter esse compromisso ao longo do tempo. E facilmente após alguns meses ao invés de aplicar o dinheiro este vai direto para uma balada, uma viagem imperdível e tantas outras tentações. E a disciplina vai embora

Escolher um fundo de investimento, aplicar em renda fixa diretamente têm juros maiores e em alguns casos inexiste taxas.

Desinteresse pelo estudo do tema finanças, o dinheiro nunca foi problema

Será mesmo? Você pode até estar pagando as suas contas em dia. Ou ainda atrasar algum pagamento ou outro. Mas isso não é problema, no final a pessoa consegue pagar tudo.

Mas isso é o suficiente? Como estão os preparativos para a sua aposentadoria, existe reserva de emergência e a conquista de sonhos?

Mesmo para pessoas onde o dinheiro está “sobrando” e não existe a preocupação com ele, é muito importante se dedicar ao tema. Afinal você pode estar desperdiçando dinheiro, esforço. Além de conseguir realizar mais coisas e ter um propósito de vida.

Mergulhar no tema “finanças” pode parecer algo complexo, mas não é. Entender o quão importante é o tema já é um passo muito importante. Se eduque financeiramente, mude a sua relação com o dinheiro e seja mais feliz.

Hoje o mercado disponibiliza várias formas de se inteirar no assunto. Formas mais “leves” de aprendizado, uma gama enorme de informações na internet, cursos gratuitos para iniciante bem fáceis e rápidos.

Mas é preciso ser dedicado em relação ao aprendizado e conhecimento.

💪Assista a filmes, documentários e séries.

💪Leia livros. Existem uma variedade muito grande disponível inclusive em formato de ebook. E a maioria com leitura fácil e descomplicada. Os nossos disponíveis são:

Orçamento Doméstico em tempos de crise financeira – direcionado para pessoas endividadas;

Vamos falar de 2021, que trata sobre como ter objetivos e estipular metas;

Planejamento Financeiro – fizemos um compilado de todos os artigos sobre o assunto;

💪Acompanhe nas redes sociais. Há vasto material, porém, procure os com conteúdo de qualidade e que sejam profissionais. Nós publicamos diariamente no Facebook, no Instagram e no LinkedIn, conteúdo, dicas e material.

💪Se inscreva em sites que publiquem conteúdo de Educação Financeira para receber informações automaticamente. E este é o nosso, receba os próximos artigos no seu email:

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

💪Para conhecer todos estilos veja estes artigos:

Estilos lesivos de lidar com o dinheiro – A emoção

Estilos lesivos de lidar com o dinheiro – Carências Afetivas e Financeiras

Estilos lesivos de lidar com o dinheiro – O comodismo

Estilos lesivos de lidar com o dinheiro – Agir sob influências culturais e tradições

Estilos lesivos de lidar com o dinheiro – Pressão família, sociedade, marketing

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s