Orçamento em Crise – Aprenda a Priorizar

Vamos domar esta onda. Priorizar é preciso.

 A atual crise nos jogou em uma onda gigantesca e estamos rolando nela até agora, com isso fomos obrigados a rever nossos gastos, nossos pagamentos, nosso jeito de consumir.

Não é uma tarefa fácil. É hora de rever prioridades. O que é mais prioritário o que é menos, o que eu devo deixar de pagar e o que devo pagar? Como fazer esta escolha?

Vimos no post da semana passada as estratégias 1 e 2; mapear obrigações e como reduzir gastos. Para rever clique aqui. Já eliminamos os desperdícios e já reduzimos drasticamente os supérfluos. Sobraram aqueles gastos necessários dos quais eu não posso deixar de consumir (com pagamentos vencidos ou não), mas o dinheiro não dá para tudo, então como escolher entre eles qual vai ser pago, qual não? Em qual ordem?

E é exatamente isto que vamos falar hoje.

Uma das estratégias do “Orçamento em Crise” é a estratégia de Priorizações.

Priorizar obrigações e dívidas

Note que estamos usando o termo obrigações, porque nesta altura da situação os gastos “eu quero” não têm chance, afinal estamos em situação de emergência. Estamos falando de gastos que somos “obrigados” a consumir – como água, luz, alimentação, moradia…

O segredo desta estratégia é como são definidos os critérios de classificação. O ranking é baseado na importância que o gasto tem em relação às nossas necessidades.

Olhe os gastos não no valor, nem nos juros que ele representa, mas sim nas CONSEQUÊNCIAS REAIS que o não pagamento vai impactar na vida da família.

O que vai acontecer se eu não pagar?

Vocês devem estar estranhando este raciocínio afinal às prioridades deveriam ser os pagamentos sujeitos a maiores juros. Vejam bem. Aqui estamos falando de uma família em SITUAÇÃO DE CRISE. Que é passageira, temporária, onde não há dinheiro suficiente para honrar com todos os compromissos e ainda não se encontra no estágio de eliminação de dívidas, o ponto de equilíbrio não foi alcançado (ao alcançar este ponto, sim, considera-se eliminar os gastos começando com juros maiores).

Entram neste ranking as Dívidas e Obrigações (vencidas e a vencer).

Consiste em priorizar cada gasto entre ALTA – MÉDIA – BAIXA prioridade, onde:

a) Alta Prioridade

Entram os gastos onde o não pagamento implica em MEDIDAS MAIS RÁPIDAS contra a casa, serviço, carro e outros produtos essenciais para a família.

Exemplo:

– Fornecimento de energia elétrica e água. Sabemos da rapidez com que ocorrem os cortes de fornecimento. (paralelamente não se esqueça das medidas de redução máxima do consumo). Aposente o ar condicionado, implante banho super curtos, não use na função inverno, não lave o carro… Verifique se na sua região as operadoras estão parcelando as dívidas.

– Considere nesta lista os alimentos – essenciais (é hora de rever também o cardápio e escolher alimentos e marcas mais baratos possíveis, porém sem lançar mão da qualidade).

– Medicamento e aluguel também entram nesta lista.

Mesmo sendo estes itens como prioritários para pagamento renegocie os valores. Em caso de aluguel reveja com o proprietário uma redução temporária, se não for o caso considere mudar de casa/apartamento.

– Plano de Saúde – Seguro Saúde – vai depender de cada família, é possível ficar sem? Alterar um plano para um mais em conta é uma realidade viável? Dependendo da resposta este gasto pode ser considerado de média prioridade.

– Mensalidade da Casa Própria

Antes de colocar neste nível de prioridade verifique quantas parcelas em aberto é possível ficar antes de uma medida judicial. Paralelamente verifique a portabilidade do financiamento para outro banco com juros menores. Verifique as possibilidades de redução das mensalidades. O financiamento possui algum tipo de seguro que pode ser acionado?

b) Média Prioridade

Nesta categoria entram os Gastos Críticos, onde os valores permitem renegociação ou a ação suspendendo o consumo pode demandar um pouco de tempo. A falta dele, apesar de crítica dá para contornar.

Exemplo:

– Mensalidade escolar, universidade, curso profissionalizante, van escolar.

Tente negociar o mais rápido possível. Mesmo sabendo que só terá condições de pagar daqui a alguns meses, pelo menos você pode negociar uma suspensão temporária. Alguns cursos permitem “trancar” a matrícula.

– Gastos com celular/internet, podem ser facilmente alterados para franquias mais baratas.

Aqui também entra estudar a viabilidade de trocar, ou até eliminar o gasto. Todas as possibilidades devem ser analisadas.

– Gastos com salões de beleza, academia de ginástica, também entram neste nível.

Se não foi possível eliminar, porque é um item muito importante para a sua família, negocie pedindo suspensão temporária.

c) Baixa Prioridade

Aqui entram os débitos sem nenhuma garantia. E exatamente por não ter garantia costumam ter as taxas de juros mais altas. Como estamos falando em situação de emergência as ações também são de emergência e por isso estes gastos serão os últimos a serem pagos.

– Cartões de crédito, empréstimos, compras parceladas.

Quando a situação permitir o pagamento, eles poderão ser negociados, mas até lá há outras prioridades.

Para prestar atenção:

Quanto aos Financiamentos, que na maioria das situações o próprio bem que esta sendo financiado é a garantia, devem ser analisado com cautela um a um. Qual é o impacto no atraso do pagamento. Vou perder o bem? É possível renegociar as parcelas? Este bem me faz falta? Consigo vender ou devolver o bem? Considere todas as possibilidades.

Baseado nestas respostas é possível verificar em qual prioridade ela se encaixa.

Muitas vezes deixamos de renegociar porque não temos a mínima noção de quando vamos ter condições de efetuar o pagamento. Apesar deste pensamento ter uma lógica, não é a melhor estratégia.

Por um lado realmente não adianta pedir outro prazo para pagamento se não tiver certeza se vai conseguir honrar. Por isso é importante ser sincero, a opção “não sei quando vou conseguir pagar” também deve ser negociada e considerada. Melhor isso do que pedir prorrogação indefinidamente. Ou, refazer um financiamento e não conseguir pagar, a conta sairá mais caro.
Então a melhor estratégia é tentar entrar em contato com o responsável da conta ANTES do vencimento. Explicando a sua situação. Se conseguir provar melhor ainda. Se você já explicar que não tem condições de pagar algo que ainda vai vencer as chances de sucesso na suspensão, prorrogação ou renegociação serão maiores, afinal a sua postura também influencia a seu favor. Muitos vão estar mais abertos a conversar e vai protelar o máximo alguma medida mais extrema como protestar, entrar na justiça etc.

Impostos – aqui também vale observar as consequências. Como depende de cada tipo de imposto e realidade, utilize esses critérios para colocar no ranking adequado.

Nota: Os exemplos dos gastos em cada categoria indicados aqui, não significa que será assim para todos. Com sempre digo, cada pessoa é única e têm realidade diferente. O importante é entender o critério de cada prioridade e com isso cada um vai conseguir determinar em qual se encaixa na sua realidade.

Veja o 📚 ebook Orçamento Doméstico em Tempos de Crise, e acesse toda a série em um lugar só;

capa do ebook “O Orçamento Doméstico em tempos de crise financeira”

Ou siga esta trilha por aqui no site:

Situação de emergência pede um orçamento em crise

Orçamento em crise: Aprenda a priorizar

Orçamento em crise. Chegamos! Eliminando dívidas

Negociando dívidas. Dicas

Dicas de como sair da crise financeira

E comece já a fazer um Planejamento Financeiro vendo este 2 ebooks;

Capa ebook Planejamento Financeiro – Todos os episódios da série juntos
Capa do ebook Vamos Falar de 2021

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s